Uso consciente de plásticos é a nova revolução em defesa do meio ambiente

O mundo vive uma nova revolução sem precedentes quando o assunto é sustentabilidade e consciência ecológica. Impulsionado pela viralização de conteúdos que relatam o desespero e agonia de seres que estão sendo prejudicados pela alta concentração de lixo no meio ambiente, uma forte onda de consciência ecológica tem mudado hábitos em diferentes setores da sociedade.

O Blog da ABRAFAC fala agora sobre o assunto, e mostra a importância do Gestor de Facilities de refletir sobre esse tema no cotidiano de sua profissão. 

Seria a Geração Z, que está chegando ao mercado agora, a responsável pela revolução que vive o planeta? Uma pesquisa aponta que esse perfil é mais consciente ambientalmente até mesmo que os millennials, que os precederam, e isso terá um impacto bem grande nos hábitos cotidianos de empresas.

De acordo com uma pesquisa encomendada pela City of London Corporation, essa nova geração espera que os Gestores sejam mais ativos na criação e cobrança de ações que visam proteger o meio ambiente.

O estudo foi baseado nos resultados de um questionário que comparou as atitudes de 1.000 membros da Geração Z que entraram pela primeira vez no mercado de trabalho (aqueles com 18 a 22 anos) com 1.000 funcionários novatos do perfil millennials (33–37 anos de idade).

A pesquisa, realizada pelo corpo diretivo da Square Mile, encontrou “uma mudança considerável de atitudes entre as gerações”, incluindo:

  • 80% da Geração Z classificou a necessidade de ações de conscientização, oriundas de Gestores, em relação a plásticos de uso único como mais importantes ou muito importantes. Essa questão veio antes da economia de energia elétrica, da redução do consumo de água e sobre reduzir os gases de efeito estufa;
  • 37% da Geração Z consideraram essa responsabilidade ambiental de um Gestor. Apenas 19% da Geração Millennial considerou da mesma maneira, quando solicitaram o primeiro emprego;
  • A responsabilidade ambiental está agora entre as três principais considerações quando se trata da cobrança por medidas para Gestores. Tanto a Geração Z quanto a Millennial concordam com a questão (36%), juntamente com a disparidade salarial entre gêneros (38%) e política de diversidade (30%);
  • 43% disseram que ficariam chocados se seu Gestor continuasse a usar plásticos descartáveis ​​no local de trabalho.

Movimento é global

Somente nos Estados Unidos, estima-se que mais de 500 milhões de canudos plásticos são utilizados diariamente. Com pressões externas e internas, grandes marcas globais estão aderindo ao movimento que visa evitar a oferta de canudos plásticos em seus estabelecimentos.

Um exemplo é a rede de cafeterias Starbucks, que anunciou que vai deixar de usar canudos de plástico em lojas de todo o mundo até 2020, evitando o consumo de mais de um bilhão de canudos. A rede de fast food McDonald’s também anunciou recentemente que deixará de usar o apetrecho em lojas do Reino Unido e da Irlanda. Governos também entraram na discussão, com proibições no Rio de Janeiro, Escócia e Reino Unido.

Canudo plástico: inimigo número 1

O canudo plástico se tornou o inimigo número um do meio ambiente de forma simbólica. Seu uso é indispensável no dia a dia das grandes cidades, e por isso, ações de conscientização sobre a sua utilização acabam gerando um impacto imediato em toda a sociedade.

O alerta principal, que ecoa pelo mundo, vem do Fórum Econômico Mundial que relata a existência de 150 milhões de toneladas métricas de plásticos nos oceanos. Se nada for feito, os cientistas preveem que haverá mais plástico do que peixes no oceano até 2050.

A revista científica Science em 2015 publicou que pesquisadores descobriram que a humanidade gera um total de 275 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano — e um valor entre 4,8 milhões e 12,7 milhões de toneladas chega aos oceanos.

Ativistas esperam que o canudo plástico seja o item para conscientização, mas não o único entre os materiais de uso único, que engloba sacolas e garrafas (que são responsáveis por índices de poluição maiores). Segundo o Relatório de Limpeza Costeira de 2017 da Ocean Conservancy, o lixo mais comum encontrado nas praias são os cigarros, seguidos por garrafas plásticas, tampas de garrafas, envoltórios e sacolas.

E você Gestor de Facilities? Como está lidando com a questão?

Congresso & Expo ABRAFAC 2018 terá painel sobre Sustentabilidade

Com data marcada para ocorrer nos dias 26 e 27 de setembro (semana que vem!) no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, o Congresso & Expo ABRAFAC é o mais importante evento do calendário de facilities brasileiro.

No painel “Sustainability: A gestão de recursos não só como política corporativa, mas como política atitudinal”, em que Marcos Borges, coordenador da área de produtos eletroeletrônicos e do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) na Assessoria de Medidas Regulatórias, apresenta as principais tendências, tecnologias e sistemas atuantes a favor da Sustentabilidade.

Em entrevista para o Blog da ABRAFAC, Marcos se mostra bem confiante com sua participação. “É uma oportunidade excelente para disseminar as informações do PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem) e do PBE Edifica e para estar em contato com discussões atuais sobre sustentabilidade”, afirma.

Ainda dá tempo para se inscrever! Garanta sua vaga clicando aqui!

Com informações: FM World, Época Negócios.

Compartilhe nas redes sociais
Associe-se
Área de Associado