Webinar foi realizado na tarde desta quarta-feira.

Por Jéssica Marques

O presidente da ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities), Thiago Santana, mediou um debate online sobre os impactos da Covid-19 na limpeza hospitalar. O webinar foi realizado na tarde desta quarta-feira, 15 de abril.

O bate-papo foi organizado pela ABRALIMP (Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional) e transmitido para inscritos de forma gratuita. Foram discutidas questões presentes e futuras com relação a empresas de facilities deste segmento. O vídeo da apresentação está disponível aqui.

Participaram da troca de experiências o vice-presidente de Relações Institucionais da Abralimp, Paulo Peres; o coordenador de Hotelaria no Sabará Hospital Infantil, Marconi Morais; e o engenheiro químico e consultor técnico da ABRALIMP, Thiago Lopes.

O objetivo do debate foi discutir ações que garantem a correta desinfecção de ambientes hospitalares, crucial no combate ao novo coronavírus. Para isso, foram reunidos especialistas em diversas áreas do correlatas, como gestão de facilities hospitalar, setor químico e prestação de serviços de limpeza em hospitais.

“Tive o prazer de ser convidado para moderar esse bate-papo tão relevante organizado pela Abralimp para falar sobre os impactos da Covid-19 na higienização de ambientes hospitalares”, afirmou Thiago Santana.

“Como toda área médica de facilities, o segmento de limpeza está inserido no olho do furacão desse problema, tendo que responder não só com adequações na infraestrutura de cada uma das unidades de saúde, mas também com o dia a dia da recepção, manuseio, higienização do espaço, de roupas, aspectos de enxoval de todos os pacientes e colaboradores que estão em contato ou testaram positivo para o coronavírus”, completou o presidente da Abrafac.

Mudanças no setor

Para começar a discussão, Santana solicitou ao coordenador de Hotelaria no Sabará Hospital Infantil, Marconi Morais um panorama com relação às mudanças em infraestrutura hospitalar e limpeza.

“A questão principal foi refinar processos e se adequar ao novo cenário, como revisão de POPs [Procedimento Operacional Padrão], que foram desmembrados e criados com base na Covid-19 e a preocupação em transformar as informações em conhecimento para a base”, detalhou Morais.

“Temos um comitê de crise que se reúne diariamente com a liderança da instituição para alinhar processos e informações com a maior riqueza de detalhes e segurança”, explicou também.

Informações

Por sua vez, o presidente da ABRAFAC abordou com o consultor técnico da Abralimp, Thiago Lopes, questões relacionadas à imensa quantidade de informações, muitas vezes falsas, sobre prevenção ao novo coronavírus.

“A gente começou a ter algumas demandas que antes não tínhamos. O pessoal começou a utilizar álcool em gel de forma indiscriminada, o que causou desabastecimento no mercado. Não somente para higienização pessoal, mas de ambiente, o que é um problema, pois há produtos específicos para isso em vez do álcool”, observou Lopes.

“Desta forma, produtos de uso hospitalar estão sendo utilizados a desinfecção de ambientes simples, quando se poderia utilizar um desinfetante de uso geral. Fizemos um trabalho foi para orientar, para abaixar a poeira e mostrar que é possível utilizar uma série de produtos no combate ao coronavírus, para que não tenha desabastecimento”, completou.

Além disso, visando padronizar os protocolos de limpeza durante a pandemia da Covid-19, a ABRALIMP desenvolveu um manual com informações básicas recomendadas para auxiliar todas as empresas do setor (confira aqui).

Empresas de facilities

Do ponto de vista das prestadoras, o presidente da Abrafac perguntou ao vice-presidente de Relações Institucionais da Abralimp, Paulo Peres, como as empresas estão lidando com esta nova demanda.

“O que percebo é que foi colocado à prova o pilar principal do segmento de limpeza: a liderança para levar um grupo de pessoas a uma ação. Nesse aspecto, quem já estava com uma equipe bem alinhada, treinada e motivada, enfrenta melhor uma situação de estresse, como o que ocorre em hospitais que recebem os casos de Covid-19”, avaliou o vice-presidente.

“O segmento de limpeza foi colocado na linha de frente como algo de extrema importância, ainda maior do que já era. Está sendo um desafio na logística de EPIs [Equipamentos de Proteção Individual], com a falta de fornecedores nacionais para suprir, principalmente as máscaras a hospitais e empresas que atendem a hospitais, com os fornecedores seguindo uma ordem de prioridade”, disse também Peres.

Visão humana

O debate foi realizado por aproximadamente uma hora, com questões derivadas dos temas trazidos por Thiago Santana e debatidos pelos especialistas. Mais de 220 pessoas acompanharam o bate-papo, ao vivo, por meio do YouTube.

Após a troca de experiências, Santana afirmou que foi tocado pela solidariedade por parte de empresas e associações neste momento tão difícil, com diversas consequências trazidas pela pandemia.

“O que mais me surpreendeu nesse processo, que eu acho que é o legado que ficará, é a visão humana. Por mais que tenha havido algumas atitudes oportunistas por parte de algumas empresas, estou muito surpreso com o outro lado da moeda, que é humano, de acolhimento, assistencial, que tem sido o novo normal para a maior parte das organizações durante esse período”, finalizou o presidente da ABRAFAC.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associe-se
Área de Associado