Tema foi debatido por Frederico Behmer, sócio proprietário da BLUE Treinamento e Desenvolvimento, e Paulo Ponso, gerente executivo de operações no Grupo Bumgart

O tema “Gestão de ativos e missão crítica” foi debatido em um painel do Congresso Brasileiro de Facility Management, Property & Workplace 2020 nesta quarta-feira, 07 de outubro, último dia do evento. Os palestrantes que apresentaram o tema foram Frederico Behmer, sócio proprietário da BLUE Treinamento e Desenvolvimento, e Paulo Ponso, gerente executivo de operações no Grupo Bumgart. A moderação foi feita por Irimar Palombo, head de Infraestrutura do SESC-SP.

O objetivo do painel foi abordar a importância do conhecimento técnico na gestão de ativos e na garantia da missão crítica, sob o ponto de vista da infraestrutura. A discussão também abordou a importância de um bom gestor de FM reconhecer as competências necessárias em sua equipe, mesmo que terceirizada, como condição estratégica de garantir a confiabilidade na operação.

“Todo mundo tem sua missão crítica, da área comercial, industrial, de serviços, no data center, principalmente em hospital”, afirmou Behmer. “Assim, é essencial um alinhamento do Facility Manager com a organização demandante”, considerou.

“É preciso ter um plano de manutenção consistente e aderente às necessidades”, completou Ponso. “Não tem muita mágica, é ter um bom painel de indicadores e avaliar o tripé custo, prazo e qualidade. Com a gestão de ativos, o grande desafio é fazer mais ou melhor com menos dinheiro”, considerou.

Além disso, Ponso afirmou que o FM é o profissional que tem que cuidar de muita coisa e dificilmente ele vai ter conhecimento profundo em todas elas. Portanto, entre as maiores habilidades desse profissional está a capacidade de tomar gestão de um ativo ou mais, mesmo não estando no local. Outra habilidade é se comunicar de forma efetiva.

“Nós somos a tecla SAP entre as necessidades das nossas instalações, as obrigatoriedades legais e temos que ter um bom entendimento e uma boa comunicação para falar a língua de quem toma as decisões nesses processos”, considerou.

Behmer complementou dizendo que o FM é uma atividade muito disciplinada, assim, o que dá mais problema é justamente a área na qual o profissional deve se aprofundar. Contudo, é preciso saber o momento de buscar uma opinião especializada para resolver as questões específicas.

Modelo híbrido de congresso

Por conta das medidas de restrição resultantes da pandemia de covid-19, esta edição do Congresso Brasileiro de Facility Management, Property & Workplace 2020 foi realizado em um modelo híbrido de transmissão, ao vivo, permitindo a participação gratuita de um público variado, por meio da internet.

“A participação neste congresso foi muito especial, pois, estava cercado por amigos a distância e todos trabalhando para que tudo desse certo e está dando como podemos constatar. Nada é melhor do que o contato olho no olho e a troca de impressões ao vivo, mas no atual momento isto não seria possível e esta solução foi excelente e estamos podendo verificar que acertamos no que fizemos”, afirmou Behmer.

“O compartilhamento de conhecimento e experiências do congresso da ABRAFAC é excepcional, ainda mais neste momento ímpar, onde a dinâmica do modelo híbrido –presencial e virtual – é totalmente inclusiva, conteúdo de grande relevância, passando por todas as disciplinas e modelos de Facilities, além do enriquecimento mútuo de todos que participam, quer como palestrantes como convidados, parabéns por toda organização e sucesso do congresso”, disse Ponso.

Por Comunicação ABRAFAC

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associe-se
Área de Associado