Primeiro evento do ano da ABRAFAC foi realizado no prédio da Porto Seguro, em São Paulo

Por Jéssica Marques

A primeira edição de 2020 do FM Debate, realizado pela ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities) nesta quarta-feira, 19 de fevereiro, abordou os desafios e oportunidades na gestão de serviços de manutenção e proporcionou uma troca de experiências entre tomadores e prestadores do setor.

O evento foi realizado no prédio da Porto Seguro, na capital paulista, durante todo o período da manhã. Participaram da discussão representantes de empresas que falaram sobre boas práticas que estão sendo realizadas na área de manutenção e as formas de melhorias para a atuação neste segmento.

Na abertura do debate, o presidente da ABRAFAC, Thiago Santana, apresentou as ações e prioridades da associação, estabelecidas de 2015 a 2025.

Nesta metade do caminho, segundo o presidente, o trabalho da associação já trouxe resultados nos seguintes pilares: ser a maior rede profissional de facilities do país; tornar-se referência nacional e internacional para assuntos do setor; promover conhecimento, inovação e sustentabilidade.

A garantia de cumprimento destes pilares engloba a realização do FM Debate. Além disso, Santana ressaltou ainda a importância de reunir prestadores e tomadores de serviços em uma discussão.

“Estamos percebendo pela primeira vez em 30 anos uma mudança significativa estrutural na forma como a prestação de serviço em manutenção vai acontecer”, disse o presidente da ABRAFAC. “Quem não se mexer agora, vai ficar obsoleto muito rápido”, completou.

Durante a troca de experiências, foram abordados modelos de contrato, principais problemas e soluções tanto sob a perspectiva de quem presta como de quem toma serviços.

“A crença e a aposta nos formatos de FM debate são justamente para aproximar os diversos atores do mercado de facilities, sejam eles empresas de consultoria, prestadores ou tomadores de serviços, para como o próprio nome diz, debater sobre pontos estratégicos em torno da gestão do FM”, afirmou Santana.

“Abrimos o ano falando de desafios e oportunidades para os serviços de manutenção, para os hard services, porque nós entendemos que a parte de manutenção é que vai sofrer a grande transformação no curto espaço de tempo, devido ao advento e barateamento de tecnologia, do sistema de telemetria, do sistema de IoT e de machine learning”, complementou.

Assim, segundo o presidente, o FM Debate é mais uma oportunidade para as empresas prestadoras dizerem quais modelos de contrato não funcionam para eles, no sentido de prover o melhor serviço de manutenção.

Do outro lado, os tomadores puderam saber quais são as dores que os prestadores sentem, compartilhar as frustrações que existem no momento de contratar, onde eventualmente se tem uma expectativa de determinado nível.

Após o debate, foi feita uma visita técnica na área dos geradores, UPS e no jardim externo do prédio em que foi realizado o evento. A participação da roda de conversa e da experiência foi gratuita para associados da ABRAFAC.

Experiências compartilhadas e apresentações

Os palestrantes que participaram do FM Debate foram o chefe de Manutenção e Operação de Instalações Industriais e Utilidades na Bosch, Wilson Olivo; e o coordenador de Obras e Manutenção da Porto Seguro, Danilo Horta.

Em sua apresentação, Wilson Olivo falou sobre a abrangência da Bosch, presente em 60 países, e trouxe aspectos específicos sobre a planta de Campinas. O palestrante apresentou a mudança na equipe de Facility Management da empresa, que passou a ter um prestador de cada especialidade.

“O FM Debate traz para nós um momento oportuno para ver tanto o lado do contratado quanto do contratante. Como eles se sentem quando a gente senta em uma mesa de negociação para fechar um contrato e como eles estão atuando em um mundo com Indústria 4.0, com cada vez mais atuação. É interessante para saber se eles estão ou não preparados para isso”, destacou Olivo.

O chefe de manutenção da Bosch falou ainda sobre contratos de gestão de manutenção e serviços de limpeza, apresentou formas de aplicar penalidades e oferecer bonificações por prestação, detalhou maneiras de atuar com indicadores de performance (SLA’s), entre outras medidas.

“Uma empresa só fazia os serviços de manutenção, limpeza, jardinagem, entre outros. Decidimos contratar uma prestadora especialista em cada área”, afirmou o Olivo. Com a mudança, segundo o relato do palestrante, foram feitos ajustes para que as áreas pudessem de comunicar de forma eficiente e oferecer as melhores soluções.

Por sua vez, o coordenador de Obras e Manutenção da Porto Seguro, Danilo Horta, também apresentou a realidade da empresa em que atua e pôde conhecer as experiências dos demais profissionais presentes.

“A importância de estar aqui é conhecer o que está se fazendo no mercado, trocar experiências e ver que não tem receita pronta para poder tocar a operação de facilities e manutenção”, comentou Horta. “Isso estimula a pensar fora da nossa realidade e ter insights fora de casa, que agrega valor para trazer para dentro. Recomendo que esse tipo de evento aconteça com mais frequência”, afirmou.

Horta falou sobre gestão de contas de consumo, oportunidades com a norma NBR 50001 (eficiência energética), contratos por performance e a importância de reuniões de condomínio com zeladores.

“Quem sabe de nossas necessidades somos nós, mas elas têm que estar bem estruturadas com relação ao que existe no mercado”, considerou Danilo Horta. “Precisamos buscar no mercado parceiros que visam resolver nossos problemas e não a própria necessidade financeira. Mas para isso precisamos conhecer nossa própria dor”.

Como exemplo, o palestrante citou que alguns equipamentos não precisam ser substituídos, mas adequados. Outra maneira de gestão de manutenção apresentada por ele foi a estratégia de utilizar telemetria de forma preditiva, em substituição às manutenções preventiva e corretiva.

Danilo Horta também apresentou o conceito BMS (Building Management System), sistema de gestão predial e soluções que envolvem diretamente os moradores ou frequentadores de um prédio. “A maioria dos problemas que a manutenção resolve são coisas causadas pelo usuário, então é importante ainda realizar uma reunião de condomínio para falar sobre essas práticas”, disse.

Após as apresentações, ambos compuseram um debate mediado por Thiago Santana, com a participação também do diretor de negócios do Grupo Verzani & Sandrini, Luiz Mauro Reis e do CEO do Grupo Brasanitas, Carlos Alberto Ferreira.

“Foi muito bom porque realmente ouvimos a dor do outro lado e aprendemos a superar isso. Vou levar para a minha empresa como olhar para as situações com o olho do cliente para evitar problemas com ele”, afirmou Reis.

A experiência também foi vivenciada de maneira positiva pelo CEO do Grupo Brasanitas.

“O debate é importante principalmente nesse momento em que juntamos tomadores de serviço com prestadores de serviço e a visão dos dois lados, o que precisa melhorar em cada um dos pontos”, ressaltou Ferreira. “O mercado de facilities como um todo está evoluindo bastante, mas temos muito trabalho pela frente para evoluir e chegar a patamares que conhecemos, que é o europeu e o americano. É mais uma jornada para entendermos quais são os pontos críticos e traçarmos as melhorias para os próximos anos”, avaliou.

Apesar de o evento ter como tema manutenção, o público foi diverso. Participantes das áreas de transporte, segurança e até mesmo direito acompanharam as discussões atentamente.

O vice-presidente do Grupas (Grupo de Gestores de Facilities), Antônio Gentil, estava entre os participantes e afirmou ter adquirido muito conhecimento ao longo do evento.

“Sou membro fundador da ABRAFAC. Estou apoiando sempre o trabalho dos parceiros e não estou me surpreendendo com as apresentações porque a qualidade é fundamental. Está atendendo todas às minhas expectativas essa oportunidade de estar aqui”, considerou.

Prêmio ABRAFAC Melhores do Ano 2020

Ao final do FM Debate, o diretor secretário da ABRAFAC, Ricardo Crepaldi, aproveitou a oportunidade para falar sobre a edição 2020 do Prêmio ABRAFAC Melhores do Ano, que está com inscrições abertas. Ele destacou a importância da premiação e convidou os presentes para participarem, inscrevendo seus trabalhos, até o dia 30 de março, impreterivelmente, nas diversas categorias abertas neste ano.

Para inscrições e outras informações sobre o prêmio, acesse aqui.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associe-se
Área de Associado