Cases sobre prédios inteligentes foram apresentados por Andre Lino, head da área de Building Products na Siemens

Um painel do segundo dia do Congresso Brasileiro de Facility Management, Property & Workplace 2020 trouxe casos reais de tecnologia aplicada ao FM. Na tarde desta quarta-feira, 07 de outubro, cases sobre prédios inteligentes foram apresentados por Andre Lino, head da área de Building Products na Siemens.

De acordo com Lino, a análise de dados em tempo real possibilita manutenções preditivas e traz outras vantagens. “São poucos os empreendimentos no mundo que têm esse conceito. É o conceito do gêmeo digital, que desde a fase do projeto é possível criar um gêmeo do seu prédio, fazer cenários antecipados de operação, manutenção, prever gargalos operacionais. Isso já é uma realidade e tem consultorias em São Paulo focadas nesse tipo de projeto. Vejo isso como uma tendência futura”, explicou.

A visão de smart buildings, segundo o palestrante, vai além da eficiência operacional, colocando as necessidades das pessoas na frente e no centro. Isso gera eficiência energética, de espaço, de pessoas e resulta no crescimento da receita de uma empresa.

“Quando se fala em smart building, a gente está falando de plataformas que conectam sistemas e pessoas, por meio de uma rede de IoT de sensores. Quando a gente fala de uma plataforma integrada, tem um controle centralizado, um gerenciamento por completo. É uma compatibilidade de muitos sistemas”, disse.

Assim, Lino apresentou diversas soluções oferecidas pela Siemens. Entre elas está o Desigo CC, plataforma totalmente integrada modular e expansível.

“Essa modularidade facilita bastante a implementação. Busca diversas características, como trazer um ambiente confortável, permitir um monitoramento abrangente, fácil operação e manutenção. O Desigo pode estar no local ou monitorando os sites remotos”, ressaltou.

O palestrante também apresentou uma solução que permite identificar quantas pessoas em um ambiente tiveram contato com alguém que foi diagnosticado com covid-19. Outros cases da Siemens também foram detalhados, sempre com o objetivo de utilizar a tecnologia para facilitar a gestão.

“Depois que a população tiver sido vacinada e a gente estiver voltando para o novo normal, entendo que o home office continuará sendo uma tendência, mas aos poucos as pessoas terão uma rotina de voltar para o escritório em uma frequência menor do que antes. As pessoas vão voltar para as reuniões e o espaço vai ser remodelado”, afirmou Lino. “No meu ponto de vista, muitas empresas estão reduzindo o número de mesas, criando espaços compartilhados e prevendo mais áreas de interação, buscando espaços que irão promover esse tipo de interação, encontros que são agradáveis e favoreçam a criatividade”, completou.

“A aplicação das tecnologias inteligentes pode ser feita nesses novos espaços, que podem ser menores em termos área, mas serão interativos e com tecnologia embarcada, terá uma combinação. Como referência, a Siemens antes da pandemia já tinha uma política global de home office, trabalhando 2 ou 3 dias em casa e os demais no escritório. Após a volta do novo normal isso deve ser invertido, as pessoas irão trabalhar em casa durante três dias da semana e uma rotina de dois dias no escritório. É uma média que estamos prevendo para as funções administrativas, falando em prédios comerciais. Falando em hospitais, shoppings center e outros, que são espaços que as tecnologias inteligentes trazem bastante benefício. São segmentos que serão grandes usuários da tecnologia”, considerou também.

Congresso híbrido

Com o tema “Construindo o Futuro – Celebrando o Ambiente”, o Congresso Brasileiro de Facility Management, Property & Workplace 2020 foi realizado em um modelo híbrido de transmissão, ao vivo, totalmente online.

“Participar do Congresso ABRAFAC, de forma virtual, foi uma experiência interessante. Fiquei impressionado com a minha participação, estávamos com um público de 280 pessoas assistindo. A reflexão que eu tenho é que presencialmente é muito difícil ter um número de pessoas desse montante. Já fiz várias apresentações de forma presencial com um público de 50 a 100 pessoas”, considerou o palestrante.

“O evento de hoje foi o maior público que já falei isso é um fato interessante. Estou acompanhando as palestras, são muito interessantes e com um conteúdo muito bom. Não vejo que houve perda no sentido da qualidade de conteúdo pelo evento ser online. Em termos de interação entre os participantes há uma perda em relação ao evento presencial. O evento presencial possibilita networking e para conhecer pessoas. A ABRAFAC fez um ótimo trabalho de divulgação e organização. A experiência para mim foi muito favorável”, finalizou Lino.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Associe-se
Área de Associado