As grandes empresas que dependem da logística para rentabilizar seus negócios estão buscando alternativas para diminuir o custo fixo de suas operações, enquanto o país vem sofrendo com a inflação e a crise financeira-política. Há no mercado um questionamento quanto aos preços de locação e custos de transporte, partindo das capitais para o interior.

Condomínios logísticos localizados em áreas afastadas da capital paulista costumam oferecer preços mais atraentes de locação.

Em uma análise detalhada dos preços transacionados, conforme mostra o gráfico, é perceptível que nas regiões de Ribeirão Preto, Vale do Paraíba, Piracicaba, Sorocaba e Campinas estão sendo realizadas transações na faixa de 18% a 41% abaixo do valor fechado na capital do Estado. Relacionando o preço transacionado com a distância do condomínio da capital, a economia no valor de locação está na faixa de R$0,02/m² a R$0,07/m² por km de distância de São Paulo.

É importante observar que no último ano (do 3º trimestre de 2016 até o 2º trimestre de 2017), de todo o novo estoque entregue, apenas 21% da área está localizada num raio acima de 80 km da capital. Nestas regiões, as entregas somaram 135.900 m², e totalizaram uma absorção bruta de 167.100 m². As regiões abaixo deste raio somaram 506.200 m² entregues, com 569.000 m² de absorção bruta acumulada em um ano.

O estoque total de condomínios logísticos de alto padrão deve receber mais de 3 milhões de m², até o final de 2020. E as empresas precisam se prover de informações realistas, principalmente quando falamos de valores negociados e pedidos, para encontrarem o melhor custo x localização de acordo com as necessidades de seu ramo de atividade. Sai na frente quem planeja seu futuro com base em dados práticos do mercado.


 

 

 

Compartilhe nas redes sociais
Associe-se
Área de Associado