Patrocinadores Diamante

Notícias

Gestão de facilities na Administração Pública

  • Home
  • Notícias
  • Gestão de facilities na Administração Pública

Gestão de facilities na Administração Pública

  • por ABRAFAC
  • 3 de novembro de 2017

Luciano Brunherotto, presidente da ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities), que é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 2004, que tem por objetivo desenvolver o mercado, as organizações e os profissionais de facilities, sejam eles agentes públicos, contratantes, consultores, administradores ou empresas prestadoras de serviços, concedeu uma entrevista ao Sollicita explicando como a gestão de facilities pela Administração Pública pode facilitar e reduzir custos para os cofres públicos.

Confira:

O que significa facilities?

Luciano Brunherotto - A definição de facilities é bastante abrangente. Ela dá suporte a infraestrutura e as pessoas dentro de uma organização. Basicamente são serviços de apoio a infraestrutura, as pessoas e principalmente as utilidades (energia, água, gás, etc).

Existe uma modelagem conhecida como contratação de facilities. Como essa modelagem pode ser usada pela Administração Pública?

Luciano Brunherotto  - A grande maioria dos serviços que a gente chama de facilities são usualmente terceirizáveis, por exemplo, manutenção, portaria, recepção, limpeza, jardinagem, viagens, motoboy, enfim é uma infinidade de serviços que são usualmente terceirizados. Um grande exemplo que a gente já tem no âmbito privado é o modelo de contratação de serviços e não de pessoas. Ou seja, é definido um escopo, e acreditamos que os melhores modelos são aqueles que contratam um escopo de serviços, de limpeza ou manutenção. E não de pessoas. Não se contrata pela quantidade de pessoas, mas por m2, por equipamentos. Essa modelagem atende 100% a Administração Pública, porque ela se enquadra a qualquer local. Seja no setor privado, seja no setor público esse modelo se aplica.

Quais as polêmicas envolvendo esse modelo de contratação pela Administração Pública?

Luciano Brunherotto -  O que se tem é a burocracia de contratação da Administração Pública, onde prevalece muito mais preço que qualificação. E a qualificação prévia muitas vezes não se identifica a uma boa proposta de valor. Talvez seja essa a dificuldade da Administração Pública implementar uma gestão de escopo de facilities eficiente.

O que é gestão de facilities?

Luciano Brunherotto – Usualmente, nas empresas, você tem uma figura de gestor/gerente de facilities que congrega todas essas atividades. Ele faz a gestão dos contratos através e principalmente de indicadores de desempenho e de Acordo de Níveis de Serviço (ANS). A gestão desses contratos normalmente é feita por meio de ANS e com indicadores de medição mensal ou trimestral. Isso pode ser feito por um gestor ou por uma companhia, empresa gerenciadora dos serviços que coordena a maioria dos contratos terceirizados.

Por que a Administração deve optar por essa modelagem de contratação? Quais os benefícios?

Luciano Brunherotto - Ela privilegiaria a eficiência. Eu acredito que o setor público sofre com a ineficiência e algumas amarras de contratações que não só inflam o valor do contrato, porque acabam contratando por preço, mas às vezes a quantidade de exigências que existem no contrato geram a ineficiência. A falta de gestão por indicadores geram ineficiência. O grande beneficio acredito é a utilização de recurso e principalmente um ganho infinito na manutenção dos ativos (prédio, móveis, etc), fazendo com que esses durem mais .

Como deve ser a implantação? 

Luciano Brunherotto - Da mesma forma que é feita no setor privado. Através de uma boa elaboração de edital de concorrência, definindo os parâmetros claros do que é esperado, definindo principalmente qual é o nível de serviço exigido, sem definir as pessoas, ou seja, deixando  que os prestadores de serviço indiquem as melhores propostas, e aí sim na equalização de preços avaliar preços e propostas, identificando a melhor relação custo benefício.

Que resultados podem ser obtidos?

Luciano Brunherotto - Os três benefícios de gestão de faciliteis são: redução de custos; gestão dos serviços essenciais para o funcionamento da máquina pública; e ambiente de trabalho. Esse último pouco visto pela Administração Pública, que é o cuidado com a iluminação, com o ambiente harmônico, com a felicidade das pessoas que trabalham.

Dicas para quem pretende contratar serviços de conservação e manutenção de infraestrutura predial na modelagem de contratação conhecida como facilities?

Luciano Brunherotto -  A dica é fazer um escopo de indicadores de níveis de serviço de forma simples. O setor público usualmente complica muito quando vai para o mercado, acredito que para tentar se proteger, muitas vezes pesa a mão na quantidade de informações, e exigências.  A minha experiência demonstra que o simples dá mais resultado. A grande dica é tentar simplificar os editais de concorrência, a documentação exigida, e o processo. Tentar imitar o que o setor privado já está fazendo, com ótimos resultados efetivo e produtivo.


Compartilhe:

Busca

Receba Nossa Newsletter

Fale Conosco
  • Endereço: Rua Silvio Dante Bertachi, 287 - Vila Sonia | CEP 05625-000
  • Telefone: (11) 4872-2895
  • Email: rb.gro.cafarba@otnemidneta
© 2016. «ABRAFAC - Associação Brasileira de Facilities». Todos os Direitos Reservados.